#Entrevista - Leila Rego

sábado, 27 de outubro de 2012

Mais uma entrevista com uma autora parceira do blog. 

Poderia se apresentar e falar um pouco sobre o seu livro Pobre Não Tem Sorte para os leitores do Blog?
Oi! Tudo bem? É um prazer estar aqui no blog falando do meu trabalho e batendo papo com seus seguidores.  Eu sou escritora há quase seis anos, tenho 3 livros publicados, sendo eles Pobre Não Tem Sorte, Pobre Não Tem Sorte 2 e Amigas (im)Perfeitas.
A série Pobre Não Tem Sorte conta a história de Mariana Louveira, uma garota de classe média que mora na cidade de Presidente Prudente – SP. Ela conhece Edu – garoto rico, estudante de medicina, lindo-simpático-tudibom e melhor partido da cidade - no cursinho pré-vestibular e eles começam a namorar. A partir desse namoro a vida de Mariana, que antes era simples e pacata, dá uma reviravolta total porque ela se deslumbra completamente com o mundo de Eduardo e passa a fazer de tudo para ser uma garota descolada da alta sociedade. Mesmo sendo pobre, ela sofre uma inversão de valores e, principalmente, passa a ostentar aquilo que não tem só para ser igual às novas amigas. Com esse novo comportamento, Mariana acaba esquecendo do noivo, da família e das coisas realmente importantes da vida.

Como iniciou a sua carreira com a Literatura?
A escritora que existe em mim aflorou há bem pouco tempo, seis anos atrás para ser mais exata. Sou formada em Turismo, trabalhei muito tempo como Analista de Recursos Humanos, mas não era feliz com o que fazia. Buscando meios de extravazar o estresse que eu sofria no meu trabalho, eu comecei a escrever. Deixava minha mente vagar e ia escrevendo em um caderno. Escrevia contos, crônicas, historinhas infantis... Dessas histórias, nasceu Mariana, protagonista da série PNTS.  Gostei tanto da personagem que fui criando um ambiente para ela, depois um enredo, outras personagens... Sentia tanto prazer ao escrever a história da Mariana que eu me via em sua história, querendo criar mais coisas, mais cenários, mais complicações... E foi assim, dessa forma natural e despretensiosa que me tornei escritora. 

De onde vem sua inspiração para escrever?
Eu me inspiro em várias coisas: músicas, filmes, livros, conversas, notícias de jornal... Tudo pode virar inspiração ou ideia para criar uma história ou um desenvolver um capítulo. Gosto de ler de tudo, estar antenada em diferentes assuntos.  Até mesmo aquela conversa alheia em fila de banco pode render alguma coisa.

Qual seu autor favorito?
Não tenho um autor favorito não. Gosto de vários e, ultimamente, tenho lido muitos autores nacionais. A literatura nacional está crescendo e trazendo bons frutos. Precisamos divulgar mais nossos autores e mostrar que não existe mais aquele preconceito com relação à literatura nacional.

No mundo da literatura, qual foi sua maior conquista até hoje?
Cada e-mail ou mensagem que recebo de leitores dizendo que leram meus livros e curtiram a leitura já é uma grande conquista. Fico muito feliz quando tenho esse retorno porque reforça a minha escolha pela profissão. Outro momento bom foi quando o livro Pobre Não Tem Sorte 2 ganhou o prêmio Codex de Ouro como melhor chick-lit de 2011.

Se você tivesse que definir seu livro em uma palavra, qual seria?
Ai! Difícil, hein?! Acho que agradável poderia definir, apesar de ainda ficar muito vago. Eu gosto de escrever sobre o cotidiano das mulheres. E quando falamos em mulheres, uma palavra apenas não é o suficiente para nos definir. =)

Se fosse para escolher apenas um trecho do seu livro, qual escolheria? 
Gosto desse aqui, do Amigas (im)perfeitas:
“– Oi, estrela – disse com uma voz carregada de desejo. – Diz de uma vez o que você tem pra me contar.
– Querido – fiz uma pausa proposital olhando fundo em seus olhos castanhos –, você perdeu.
– Engano seu – sussurrou me deixando paralisada pelo medo de ele se levantar e sair correndo para o seu quarto, para fechar mais uma torneira ou sei lá o quê. – Eu ganhei – disse colando a sua boca na minha. – Eu ganhei você.”

Quais seus planos para o futuro? Algum projeto novo em mente?
Acabei de lançar o Amigas (im)perfeitas agora em agosto, na Bienal de São Paulo. Tenho pronto o meu quarto livro, ainda sem título definido. É um romance, mas não é tão engraçado quanto a série PNTS e o Amigas (im)perfeitas. Ele tem uma leve pitada de drama, mas segue com o meu estilo literário, que é o chick-lit. O livro está pronto, tem título provisório e tudo... Além disso, estou escrevendo Pobre Não Tem Sorte 3.
Espero que, em breve, eu possa dar uma boa notícia para todos que acompanham o meu trabalho. Torçam aí por mim!

Para finalizar: gostaria de deixar algum recado para os leitores do blog?
Obrigada sempre por lerem meus livros.  Escrever e perceber o bem que trago aos outros é uma realização maravilhosa.   Continuem apoiando os autores nacionais e me enviando notícias ao acabar de ler minhas obras.  Gosto muito de “escutar” o que vocês dizem. E, também, quero agradecer,  mais uma vez, pela oportunidade de estar aqui no blog falando do meu trabalho. Desejo sucesso e muitos livros em suas vidas!
Um beijo no coração!

Links úteis:
http://www.leilarego.com.br
Twitter: LeilaRego
Resenha Pobre Não Tem Sorte

2 comentários:

  1. É maravilhoso poder conhecer um pouco mais as mentes brilhantes que transformam palavras em histórias, que nos fazem viajar no mundo da imaginação repleto de emoções.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a entrevista!
    Ainda não conhecia essa autora e seus livros, mas achei superlegal e interessante! Preciso ler PNTS kkkkk

    Ótimo post, beijos.

    ResponderExcluir

Just Livros Todos os direitos reservados. Criado por: Amanda Nello.Tecnologia do Blogger. imagem-logo